Buscar
  • Reynaldo Pereira

O QUE É UMA RODADA DE INVESTIMENTO ?


Tal como passar o chapéu na hora do show, uma rodada de investimento é uma forma de levantar recursos para o desenvolvimento de um negócio.


Geralmente ligado ao universo das startups, esse termo tem seu equivalente na expressão “FUNDING ROUND”.


As rodadas de investimento se dividem em fases, que levam em consideração o nível de maturidade da startup.


FASES DAS RODADAS DE INVESTIMENTOS:

► Investimento Anjo;

► Pré-seed;

► Seed;

► Série A;

► Série B;

► Série C em diante.


Investimento Anjo –

Costume ser uma forma de financiamento para tirar ideias do papel.

Tratam-se de quantias menores, geralmente aportadas por pessoas físicas: ex-executivos ou empreendedores que querem estar próximos de negócios em fases iniciais. Nos EUA, o cheque geralmente fica entre US$ 5 mil e US$ 150 mil e a participação no negócio não ultrapassa os 25% (fonte: Forbes Advisor).


Pré-seed –

Se refere ao período em que os fundadores de uma empresa estão iniciando seus trabalhos. Financiadores pré-seed costumam ser os próprios fundadores de starups, além de pessoas próximas e familiares.


Seed –

É a fase em que uma startup recebe recursos para validar a sua ideia de negócio, montar os primeiros times e fazer pesquisa e desenvolvimento de produtos.


Segundo a plataforma FUNDZ, o cheque nesta fase costuma ser de até US$10 milhões.


Rodada de investimento Série A –

Acontece na fase em que uma startup já tem um modelo de negócio construído com clientes e receita. Além disso, ela precisa mostrar potencial para crescer e gerar ainda mais renda.


A principal diferença entre a rodada Série A e as etapas iniciais de captação de recursos é a quantidade de dinheiro envolvida. Segundo a plataforma FUNDZ, que consolida informações de investimentos em startups pelo mundo, o mais comum é que um investimento Série A fique entre US$ 2 milhões a US$ 15 milhões.


Do lado de quem financia, são os fundos de Private Equity e Venture Capital, que costuma bancar rodadas de investimento a partir da Série A. Esse fundos costumam ter uma determinada quantidade de recursos para investir em empresas que atendem a requisitos de fundos em sua ESTRATÉGIA DE INVESTIMENTOS.


Há por exemplo aqueles que investem em empresas do mercado B2B. Outros olham apenas para o setor de tecnologia. Há alguns que mesclam setores, o que ajuda na diversificação.


Há fundos que podem entrar na fase de Seed Capital e permanecer até o IPO e além. Por outro lado, outros fundos precisam sair do investimento quando a empresa atinge determinado patamar de crescimento. No fim, tudo depende da TESE DE INVESTIMENTO, do fundo.


Rodada de investimento Série B –

As rodadas de investimento Série B são para empresas expandirem seu alcance no mercado. Ela serve para quem já conseguiu andar com os próprios planos da Série A e lançou novas formas de gerar receitas.


As empresas que passaram para esta fase, já desenvolveram bases de clientes e provaram aos investidores que estão preparadas para trabalhar em maior escala. A FUNDZ estima que o volume médio de recursos levantados nesse período fique entre US$ 30 milhões e US$ 60 milhões.


Os fundos de investimento que participam de uma rodada Série B, geralmente são os mesmos que já aportaram na Série A, até para evitarem a diluição de sua participação na companhia devido ao aumento de capital. Pore´m, novamente de acordo com as TESES DE INVESTIMENTO de cada um, há aqueles que entram somente a partir dessa etapa.


Uma das etapas dessa fase é a expansão por meio de fusões e aquisições: quando stratups começam a comprar empresas para evoluir o seu negócio.


Rodadas de investimento Série C, D, E, F e G-

Existem empresas que crescem tanto que a sua expansão acaba financiada por diversas outras rodadas de investimento. As STARTUPS UNICÒRNIOS, costumam se encaixar nesse critério.


Quanto mais elas crescem, mais chamam atenção de novos investidores e passam a obter mais opções de financiamento. Outro fator importante é que o risco para os investidores diminui nesta fase, uma vez que o negócio está mais consolidado.


Assim, é mais comum ver fundos de Hedge (Hedge Funds) e bancos de investimento nesta fase.


O potencial de valorização exponencial da Companhia e a preparação par um possível IPO são os fatores que atraem interessados.


Exemplos de startups na rodada de investimento Série C:

● Alice

● Buser

● Omie


Exemplos de startups na rodada Série D:

● Facily

● LivUP

● Loft


Exemplos de startups na rodada Série E:

● MadeiraMadeira

● Quinto Andar


Exemplos de startups na rodada Série F:

● Creditas

● Loggi


Exemplos de startups na rodada Série G:

● iFOOD

● Nubank

● Farmer’s Business Network


Perceba que as séries das rodadas de investimento não têm relação com o fato de uma startup se tornar um Unicórnio. Nesse caso, o critério é sempre o VALUATION da companhia alcançar US$ 1 bilhão, independente da fase de captação de recursos.


Fonte:

Published by Redação G2D in Aprenda (07/02/22)

G2D Investiments (G2DI33) – empresa de Venture Capital – ações negociadas em bolsa.

https.://www.g2d-investiments.com


Reynaldo Pereira

23/06/22

62 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo